Provedores Regionais de Internet são 3º principal fornecedor de banda larga fixa do Brasil

Essas empresas são responsáveis por conectar áreas mais afastadas e bairros periféricos

Com 11 mil empresas licenciadas no Brasil, os Provedores Regionais de Internet (ISPs) são juntos o terceiro principal fornecedor de banda larga fixa do país. Atrás apenas da Claro TV e Telefônica/Vivo e na frente da Oi, essas “pequenas empresas” conectam 23,2% dos brasileiros, de acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A expansão dos Provedores Regionais foi mais expressiva no Nordeste, onde houve uma participação no mercado de 30% em média em 2018. Quando se observa apenas o acesso via fibra ótica, o crescimento foi mais expressivo: dos 802 mil pontos instalados, 562 mil foram implantados pelos ISPs, ou seja, um crescimento de 76%.

A participação dos Provedores Regionais na expansão da banda larga no Brasil será discutida durante o Congresso INOVAtic, um dos maiores eventos de tecnologia e telecomunicação do país, que será realizado entre 26 e 27 de setembro, no Senai Cimatec, em Salvador.

De acordo com a Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint), ainda há mercado para crescimento dos ISPs, já que essas empresas atuam principalmente em lugares mais afastados que não são atendidos pelas grandes Telecons, como bairros periféricos ou cidades no interior dos estados. “Pequenos provedores” do Nordeste e da Bahia têm destaque nacional na corrida para conectar os brasileiros, como a Aloo Telecom, que está presente em 14 estados brasileiros, a ITS Brasil, que é líder no provimento de acesso à Internet na Bahia, e a Use Telecom, que é uma das maiores operadores no estado para o mercado de atacado.

O fim da cobrança de licença para empresas com até cinco mil clientes e a obrigatoriedade das grandes Telecons de disponibilizar infraestrutura para os Provedores Regionais contribuem com a expansão dos ISPs.

Infraestrutura

Apesar da atuação dos Provedores Regionais, a expansão da banda larga no Brasil esbarra na falta de infraestrutura em algumas regiões do país, o que depende de investimento privado das grandes Telecons ou do governo.

Segundo a Anatel, 1.805 municípios brasileiros não possuem fibra ótica, ou seja 33% das cidades brasileiras. O percentual de cobertura no Norte e Nordeste do país. Dos nove estados nordestinos, apenas quatro – Ceará (87%), Sergipe (78%), Alagoas (76%) e Pernambuco (69%) – possuem mais 60% dos municípios com essa tecnologia.

A Bahia tem cobertura de 58%, ou seja, 171 cidades baianas não possuem fibra ótica. São municípios menores ou mais afastados dos grandes centros urbanos, como Tabocas do Brejo Velho, Canápolis, Ibotirama e Cotegipe.

Paula Pitta

Líder de Contas

ATcom – Estratégia, Relacionamento e Conteúdo

71 3271.7171 | 9-9918-9638

https://www.agenciaat.com

   

Compartilhe nas redes sociais