Não compartilhe conteúdo falso

Quem nunca compartilhou pelo Facebook, por exemplo, um sorteio de carros de luxo e de smartphones de última geração para aqueles que curtirem este ou aquele perfil? Ou anunciou a morte de celebridades que já morreram há muito tempo ou que ainda estão vivas?  A internet é um território livre onde todo mundo posta o que quer, quando quer e como quer. Por isso, são grandes as chances das pessoas curtirem ou compartilharem uma informação  falsa como se fosse verdadeira, transformando suas páginas e perfis num eterno Primeiro de Abril. É cada vez maior a quantidade de gifsmemes ou hoaxes que induzem as pessoas a erro. Para quem não sabe, um hoax é uma mentira elaborada cujo objetivo é enganar pessoas. São peças às vezes tão bem produzidas e verossímeis que até mesmo as pessoas mais céticas e desconfiadas podem tomar aquilo como fato verídico.

Muitas vezes simplesmente confiamos nas pessoas que nos mandaram a mensagem porque confiamos nessa pessoa. E assim, as chamadas “lendas urbanas” vão se propagando. Felizmente, a própria web oferece maneiras para checar se um conteúdo é falso ou verdadeiro. Seguem abaixo algumas dicas de como identificar um boato na internet:

Busca de imagens: Para saber se uma imagem que você recebeu tem ou não a ver com o fato descrito, use o Google Images. Comparando os resultados obtidos você pode verificar a que se refere originalmente a imagem enviada. Também no Youtube é possível saber se as cenas correspondem aos episódios que estão sendo relatados através do Youtube Data Viewer.

Central de boatos: Existem também sites especializados em desmentir boatos. Entre os mais famosos está o Boatos.org que é um excelente caminho para checar se uma informação é falsa ou verdadeira. Entre os mais antigos está o E-farsas que tem mais de 10 anos de existência. Também uma ótima fonte de pesquisa.

Sobre lendas urbanas:

https://www.tecmundo.com.br/internet/94147-10-lendas-urbanas-assustadoras-dominaram-internet.htm

http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/noticia/2016/05/5-lendas-urbanas-da-internet.html

(Por Suely Temporal)

Compartilhe nas redes sociais