Mediação é uma profissão em ascensão

Rafaela Magalhães

 

Usar o diálogo para encontrar soluções para problemas que estão causando sofrimento ou prejuízos. Esse é o princípio da mediação, prática que desde o Código de Processo Civil de 2015 é obrigatória dentro do Direito de Família e que se constitui em uma nova profissão e um mercado em crescimento. Em toda a justiça brasileira, 12,1% dos processos do ano de 2017 foram resolvidos por meios de acordos, frutos de mediação ou conciliação. O dado faz parte do Relatório Justiça em Números 2018. Em Salvador, existem 183 mediadores inscritos no Conselho Nacional de Justiça.

“Nem todo processo precisa ser resolvido judicialmente. O que a mediação faz é encontrar um caminho para questões que muitas vezes estão sem solução por falta de comunicação entre as partes. É um recurso que tem sido muito útil no Direito, nas áreas de família, consumo, cobrança, locação, contratos e outros. É uma prática que leva agilidade e eficiência, mas o conhecimento sobre esse modelo de resolução de conflito, que evita longos processos e preserva os relacionamentos, ainda precisa ser disseminado para o benefício de nossa população”, destaca Rafaela Lopes, advogada, professora, mediadora e presidente da Associação de Mediadores Judiciários do Estado da Bahia.

Para ser um profissional na área de mediação não é necessário ser da área do Direito. Profissionais de qualquer área de atuação podem desempenhar a função, mas para a profissionalização recomenda-se curso específico na área, já que a qualidade do serviço será sempre o diferencial.

“A pessoa capacitada em mediação pode ser uma mediadora extrajudicial, atuando em diversas áreas. Ela é contratada de forma espontânea pelas partes para ajudar na solução de conflitos. O mediador utiliza técnicas para facilitar o diálogo entre as partes, e estratégias de negociação com foco na solução que favoreça a todos”, aponta Rafaela.

Ela é responsável pelo curso de Mediação Extrajudicial: Teoria e Prática do Brasil Jurídico, que está com inscrições abertas e tem início no dia 10 de fevereiro. O curso tem carga horária de 16h e duração de dois meses e é 100% online, que utiliza a metodologia de Negociação que Rafaela aprendeu na Harvard Negotiation Institute – Harvard Law School, aulas gravadas e dinâmicas virtuais, discussões e simulações, além de entrevistas com os maiores mediadores do Brasil.

“É uma profissão nova, que está crescendo no Brasil, é uma excelente oportunidade para quem quer redirecionar sua carreira, pois existe um mercado em expansão. Além disso, a mediação é uma competência que contribui no dia a dia de diversas profissões que lidam com conflitos e é um diferencial para qualquer profissional”, sublinha Rafaela.

Compartilhe nas redes sociais