Bracell participa de debate sobre o setor florestal na Bahia

Reunião acontece na Assembleia Legislativa da Bahia (CAB), nesta terça-feira, 19/11, às 9h

Divulgação/AgênciaALBA

Nesta terça-feira, dia 19/11, às 9h, a Bracell estará presente na reunião que tem o objetivo de discutir e buscar formas de atendimento das demandas locais, nacionais e internacionais por produtos de madeira, de forma a gerar empregos, impostos e outros benefícios sociais, ambientais e econômicos para a Bahia. O encontro será realizado na Sala das Comissões Luís Cabral, na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A reunião contará com fala da presidente da Comissão de Agricultura e Políticas Rurais, Deputada Jusmary Oliveira, a apresentação do setor florestal na Bahia – oportunidades e desafios – pelo diretor da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF), Wilson Andrade,  e como o setor já dialoga – e bem – com as comunidades e as cidades que têm operações florestais, através do representante do Fórum Florestal da Bahia, Márcio Braga.

Além disso, será apresentado o projeto de pesquisa e extensão “Desenvolvimento Socioambiental para a Agricultura Familiar (DSAF)”, da professora Gabriela Narezi, Doutora em Ecologia Aplicada, coordenadora do Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica Pau Brasil (NEA-PB) e docente do Centro de Formação em Ciências Ambientais da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). “É crescente a demanda por produtos de madeira em todo o mundo e o Brasil – e a Bahia – detém as melhores condições de competitividade para aproveitar estas novas oportunidades. Importante setores da economia baiana, como mineração, papel e celulose, construção civil, móveis, energia de biomassa, e processamento de grãos, precisam de madeira para seus processos produtivos e, por isso, nosso setor é cada vez mais demandado”, informa Andrade.

Resumo dos dados do setor florestal na Bahia:

    1.       A área plantada é superior a 700 mil hectares nas regiões Sul, Sudoeste, Litoral Norte e Oeste da Bahia.

2.    636 indústrias compõem a cadeia produtiva de base florestal, na sua maioria instalada no interior do estado.

3.    O setor detém 450 mil hectares de áreas preservadas o que equivale a 0,7 hectare para cada hectare de produção – mais que o dobro exigido pelo Código Florestal brasileiro.

4.    234 mil empregos são oferecidos pelo setor no interior do estado, o que ajuda na desconcentração da economia da Bahia (entre próprios e terceirizados).

5.    O PIB do setor alcançou R$ 14,2 bilhões em 2018, correspondendo a 5% do PIB estadual. E contribuiu com 4,3% dos impostos arrecadados no estado da Bahia nas instâncias federal, estadual e municipal, tendo alcançado mais de R$ 4 bilhões em 2018.

6.    O setor promove a integração dos pequenos e médios produtores através de programas de fomento e parcerias que já representam 20% do total da madeira consumida por nossas indústrias. E esses convênios têm taxa de crescimento de 10% nos últimos três anos.

7.    Também é intensa a parceria com as comunidades do entorno das nossas áreas de produção, com projetos socioambientais. Estes projetos envolveram investimento em 156 municípios, beneficiando 500 mil pessoas em 2018, totalizando com R$ 16 milhões de investimento voluntário por parte das empresas.

8.    Em 2018, os investimentos do setor chegaram a quase R$ 1 bilhão com crescimento de 16% em relação a 2017.

9.    O setor exportou, em 2018, US$ 1,7 bilhão, colocando-se novamente em primeiro lugar dentre os exportadores do estado.

10. O setor abastece importantes segmentos da economia da Bahia que demandam madeira nos seus processos produtivos: construção civil, indústria de papel e celulose, metalúrgica, energia de biomassa, secagem de grãos do agronegócio, madeira e móveis, entre outros.

11. As florestas plantadas têm um papel fundamental na mitigação da mudança do clima, especialmente por remover e estocar carbono nas florestas e nos produtos. Têm ainda um enorme valor na regulação do fluxo hídrico, conservação do solo e manutenção da biodiversidade. 

Sobre a Bracell

Uma das líderes globais na produção de celulose solúvel para utilização nas indústrias de alimentos, medicamentos, cosméticos, tecidos, a Bracell baseia suas operações no cultivo sustentável de eucalipto e fábricas de última geração. Com capacidade instalada para produzir 750 mil toneladas de celulose por ano, entre celulose solúvel e kraft. Suas atividades empregam quase sete mil pessoas nos estados da Bahia e São Paulo. A Bracell investe continuamente em tecnologia e pesquisa para oferecer aos seus clientes produtos de alta qualidade, entregues no prazo e a preços competitivos, respeitando sempre o meio ambiente e as comunidades em todas as etapas das suas operações.

Atualmente a empresa lançou o Projeto Star, um ambicioso esforço para ampliar sua capacidade de produção para 1,5 milhão de toneladas por ano. O trabalho de expansão já começou e deve ser concluído até o final de 2021. No momento de sua conclusão, o Projeto Star deverá representar o maior investimento privado no estado de São Paulo nos últimos 20 anos.

Além das unidades de produção no Brasil, a empresa conta com sede administrativa em Cingapura e escritórios de vendas na Ásia, Europa e nos Estados Unidos. No Brasil, a Bracell também realiza atividades de recuperação e preservação ambiental com mais de 83 mil hectares de mata nativa na Bahia e em São Paulo. Dentre estas áreas, encontra-se a RPPN Lontra, a maior Reserva Particular do Patrimônio Natural do Litoral Norte baiano, com 1.377 hectares, localizada nos municípios de Entre Rios e Itanagra. Em 2019, a RPPN Lontra recebeu o título de Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) por contar com um modelo de gestão integrada, participativa e sustentável dos recursos naturais reconhecido pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Atenciosamente, 
Vinícius CostaCoordenador de Planejamento
ATcom – Estratégia, Relacionamento e Conteúdo71 3271.7171 l 9 9918.9642https://www.agenciaat.com   
Compartilhe nas redes sociais