Bracell abriga mais de 1.200 nascentes em suas áreas

Uma boa notícia para celebrar o Dia Internacional da Água, em 22 de março: as áreas de preservação ambiental da Bracell, na Bahia, abrigam, pelo menos, 1.228 nascentes de rios. É praticamente uma nascente para cada 50 hectares de matas nativas. “Isso comprova o elevado grau de preservação destas áreas e contribui para evidenciar que o cultivo de eucalipto não afeta negativamente os cursos d’água, uma vez que as nascentes estão em trechos preservados intercalados com plantios florestais”, destaca Juliano Dias, gerente de Meio Ambiente e Fomento Florestal da Bracell.

Segundo ele, a água oriunda destas nascentes, durante todo o percurso nas áreas da empresa, apresenta um elevado padrão de potabilidade. “Como não há qualquer tipo de descarte de efluentes ou resíduos nos cursos d’água em nossas áreas, asseguramos que a água mantenha sua qualidade original, o que favorece a manutenção ambiental da fauna e flora aquáticas”, afirma Juliano.

Juliano explica que é provável que o rio Subaúma tenha sua nascente nos projetos Conceição ou Patioba, bem como o rio Catu, que corta Alagoinhas, tenha sua nascente no projeto Catuzinho. “Dizemos que ‘é provável’, pois na cabeceira destes rios há várias nascentes e não há, nas informações espaciais de fontes públicas, indicações de que essas sejam as nascentes oficialmente declaradas desses rios”.

Outra iniciativa que comprova o ‘impacto zero’ da atividade florestal nos cursos d’água é o monitoramento da microbacia rio Farje, que compõe a bacia do rio Sauipe, em Entre Rios. “Realizado há 18 anos, este é o projeto de monitoramento de microbacia mais antigo do Brasil. O trabalho é realizado permanentemente numa área de 125 hectares e, em ao longo destas quase duas décadas de trabalho, jamais foi registrada qualquer alteração na qualidade ou na vazão da água naquela região”, afirma Juliano.

Na opinião dele, dados como este ajudam a desmistificar a relação dos cultivos de eucalipto com a água. “A Bracell, tendo a base de suas operações industriais exatamente na atividade florestal, é a maior interessada em preservar os recursos hídricos. É claro que se os plantios de eucalipto fossem danosos ao meio ambiente e, por consequência, à agua a Bracell seria a primeira prejudicada. E não é isso o que acontece. Plantamos nesta região há quase 40 anos e tanto a presença das nascentes quanto os dados do monitoramento da microbacia do Farje indicam o quanto é possível sim plantar eucaliptos de modo sustentável, preservando os recursos naturais”, completa o gerente de Meio Ambiente.

Atenciosamente, 
Vinícius Costa
Coordenador de Planejamento
ATcom – Estratégia, Relacionamento e Conteúdo71 3271.7171 l 9 9918.9642
https://www.agenciaat.com   
Compartilhe nas redes sociais