Apae promove mostra de quadros e esculturas oriundas de reciclagem

Exposição “Memórias” abre na terça-feira (15) e faz parte da programação de aniversário da entidade. As peças produzidas pelo médico psiquiatra e sócio-fundador da Apae Luiz Fernando Pinto (in memoriam) estarão à venda e a renda será revertida para a Associação.

“A vida humana na sua complexidade só pode ser entendida no bojo dos processos de desdobramentos e construção – desconstrução – reconstrução, que oculta – desoculta o eu e o mundo”. As palavras de Yara Ataíde Pinto, viúva e curadora da exposição “Memórias”, do médico psiquiatra e sócio-fundador da Apae Salvador Luiz Fernando Pinto, retratam a mostra que fica em cartaz a partir de terça-feira (15) até 5 de novembro na sede da Associação, na Pituba. O acervo de 35 peças, entre quadros e esculturas, estará disponível para venda, e toda a renda obtida será revertida para os projetos da entidade. A exposição faz parte das comemorações pelos 51 anos da Apae Salvador e está aberta de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Na sociedade pós-industrial marcada pelo consumismo e pelo descarte maciço de objetos “one way“, a arte de Luiz Fernando revitaliza um arsenal de material potencialmente artístico, oriundo do lixo e do ferro velho. Neste processo de metamosfose, o artista dá continuidade a um novo ciclo de utilizações desse material, confirmando, assim, a Lei de Lavoisier: “Na natureza nada se cria e nada se perde. Tudo se transforma”. Além da questão ambiental tratada na exposição, a superintendente executiva da Apae Salvador, Angela Ventura, ressalta a importância do artista na história da instituição e destaca que a arrecadação proveniente da mostra será muito bem-vinda à entidade. “É um prazer receber a exposição com as obras do Dr. Luiz Fernando, que tanto contribuiu para a entidade, e os recursos serão muito bem-vindos para ajudar na execução dos nossos projetos”.

Dos quadros às esculturas

De acordo com a curadora da exposição, na adolescência, o médico e artista fascinou-se com os elementos da cor, em seguida foi dominado pela certeza de que a terceira dimensão projetaria sentimentos, belezas e emoções. “Os quadros e pinturas deram lugar à terceira dimensão, a utilização de objetos, de novas formas e da reciclagem, resultando nas esculturas”, firmou Yara Ataíde.

Começa então a concretizar-se uma arte “ensamblagem” com um novo significado de sustentabilidade. Define-se nessa 2ª fase peças úteis e estéticas, que se caracterizam como Sucatas de Bikes. As novas divagações ao lado das riquezas do meio ambiente vieram em seguida com partes de carro, fragmentos de mecânica etc. Cada estágio levou a divagações e realizações: sucatas diversificadas, desmontes e fluorescências, fase dos santos, fase dos gladiadores, informática e arte inteligente, instrumentos musicais, instalações “Falta de Pão” e “Pés no Chão”, e ressignificação de peças.

Serviço:

O quê – Exposição Memórias

Quem – Luiz Fernando Ataíde (in memoriam)

Quando – 15 de outubro até 5 de novembro (visitação de segunda a sexta das 9h às 17h)

                  Lançamento – 15 de outubro, terça-feira, às 19h

Onde – Sede da Apae (Rua Rio Grande do Sul, 545, Pituba)

Quanto – Entrada franca

Compartilhe nas redes sociais