Alimentação e hábitos saudáveis fortalecem sistema imunológico durante isolamento

Especialistas indicam cuidado com hidratação e sono regular, além da realização de exercícios físicos, atividades de entretenimento.

Desde que os casos de Coronavírus começaram a aumentar no Brasil, muitos brasileiros aderiram ao isolamento. Apesar de já ter mais de uma semana dentro de casa, ainda há uma preocupação de como se adaptar a essa nova rotina sem prejudicar a saúde. Nesse momento atípico, a médica da S.O.S. Vida Ana Rosa Humia, especialista em saúde da família, ressalta a máxima de seguir hábitos saudáveis, incluindo alimentação equilibrada, hidratação, dormir bem, fazer exercício físico e atividades de entretenimento.

O primeiro ponto é reforçar o sistema imunológico, que é responsável pela proteção do organismo, portanto ajuda no combate contra vírus e bactérias de forma geral. Uma alimentação saudável contribui com o sistema imunológico, de acordo com a nutricionista da S.O.S. Vida Edneuza Nascimento. “Isso não vai combater o Coronavírus, mas serve para melhorar a imunidade e diminuir o nível de infecção causada pelo vírus. Caso haja o contágio, o organismo estará mais fortalecido para que não desenvolva formas mais graves da doença”, explica.

Para isso, ela orienta a ingestão de comidas de verdade, como frutas, verduras e cereais. “Nesse momento é ainda mais importante manter uma alimentação saudável, evitando industrializados, açúcar, alimentos refinados e embutidos. O recomendável é ingerir alimentos que mais se aproximem da natureza para garantir nutrientes e fibras necessárias para um bom funcionamento do intestino, que é responsável pela absorção de vitaminas. O consumo de industrializados e açúcar poderiam dificultar esse processo”, acrescenta.

A orientação da nutricionista é comer três porções de frutas –  laranja, acerola, limão, goiaba, abacaxi – diariamente, intercaladas nos três turnos para ampliar o nível de vitamina C no organismo.  A ingestão de suco verde diariamente também é bem vinda –  couve/ abacaxi/ limão /raspas de gengibre uma colher de chá de cúrcuma – além de aumentar o consumo de verduras, principalmente as verdes escuras e vermelhas é aconselhável, já que elas são ricas em vitaminas e minerais.

Já as amêndoas, nozes, castanha-do-Pará, semente de abóbora ( triturada), frango e carne de porco são fonte de zinco, mineral que não é produzido pelo corpo, mas que é essencial para o bom funcionamento do sistema nervoso e imunológico, deixando o corpo mais forte para combater as infecções provocadas por vírus, fungos e bactérias.

O mesmo benefício ocorre no consumo de alimentos ricos em selênio, que tem alto poder antioxidante e ajuda a prevenir algumas doenças, fortalecendo o corpo. De acordo com a nutricionista, esse mineral é encontrado na castanha-do-Pará, portanto ela indica a ingestão de dois a três unidades desse alimento por dia.

Hidratação – Outro ponto crucial é manter o corpo hidratado, bebendo no mínimo 2 litros de água por dia. “Não espere a sede para beber água, pois ela é um sinal de alerta, quando sentimos sede é uma maneira de nosso corpo avisar que a quantidade de líquidos no organismo já está abaixo do necessário. É importante reabastecermos com frequência, por isso mantenha sempre uma garrafa de água ao alcance da mão”, aconselha a nutricionista.

Edneuza explica também que a ingestão de líquidos diários pode ser completada com outras fontes, como sucos da fruta, água de coco, e chás, mas alerta para evitar bebidas açucaradas com refrigerantes e sucos artificiais.

“O baixo nível de água no organismo acarreta um menor volume de sangue, o que acaba atrapalhando também o funcionamento do coração e outros órgãos. A desidratação pode causar fraqueza, tontura, dor de cabeça e fadiga”, completa a médica Ana Rosa.

Hábitos – Além da alimentação, é essencial cuidar dos hábitos durante o isolamento, como garantir uma boa noite de sono, já que há um impacto no sistema imunológico. A médica da família Ana Rosa Humia também recomenda a realização de exercícios físicos diariamente. “Durante a atividade, o corpo produz endorfina e serotonina, que são neurotransmissores relacionados à sensação de bem-estar, portanto ajudam a reduzir o estresse e ansiedade, o que é essencial nesse momento de isolamento”, pontua a médica.

O exercício pode ser realizado dentro de casa ou ao ar livre, caso tenha algum espaço isolado onde mora, evitando contato com outras pessoas e locais que podem ter superfícies contaminadas, como academias.

Ana Rosa Humia também reforça a importância de se entreter. “É fundamental se distrair, realizando atividades recreativas dentro de casa e com as pessoas que moram na mesma residência. Quem gosta de cozinhar, mas não tem tempo, pode fazer algumas receitas. Quem tem criança pode jogar ou brincar de teatro de fantoche. Não importa a atividade, o essencial é se ocupar e entreter, o que ajudará a passar o tempo e promover bem-estar”, pontua.

Como a orientação é evitar sair da casa, a exposição ao sol é reduzida, o que pode acarretar em uma deficiência de vitamina D. Para que isso não ocorra, a nutricionista orienta ficar diariamente na janela ou varanda durante 15 minutos no período de 12 às 14 horas. Ela ressalta que o antebraço é uma área onde há mais absorção do nutriente, portanto é recomendável deixá-lo exposto ao sol nesse momento.

Para esclarecimentos adicionais :


Paula Pitta
Líder de ContasATcom – Estratégia, Relacionamento e Conteúdo
71 3271.7171 | 9-9918-9638
https://www.agenciaat.com   
Compartilhe nas redes sociais